O primeiro Mundial a gente nunca esquece; conheça os 13 nadadores paralímpicos do Brasil que vão estrear em Portugal

seg, 06 jun 2022 15:53:12 -03:00



Samuel Oliveira senta na raia após prova pelo Campeonato Brasileiro Loterias Caixa de natação no CT Paralímpico | Foto: Ale Cabral/CPB

Samuel Oliveira senta na raia após prova pelo Campeonato Brasileiro Loterias Caixa de natação no CT Paralímpico | Foto: Ale Cabral/CPB

O Mundial de natação paralímpica em Ilha da Madeira, em Portugal, que acontece de 12 a 18 de junho, será o primeiro da carreira para 13 nadadores do Brasil. Isso representa 48% dos 29 atletas convocados para a competição, segundo levantamento do departamento de Ciências do Esporte do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Serão 10 atletas masculinos e três femininas estreantes entre toda a delegação brasileira que vai participar do Mundial. Entre eles, no entanto, estão nadadores com muita experiência internacional e que já até conquistaram medalhas em Parapan e Jogos Paralímpicos. Ao todo, são quatro medalhistas de Tóquio que vão estrear em Mundiais: Gabriel Araújo (classe S2), Mariana Gesteira (S9), Douglas Matera (S13) e Gabriel Bandeira (S14).

O mineiro Gabriel Araújo, de 20 anos, participará pela primeira vez de um Mundial após conquistar duas medalhas de ouro (nos 50 m costas e 200 m livre) e uma prata (nos 100m costas) no Japão, além de obter um ouro nos 50 e 100m livre e bronze nos 50m costas e nos 50m borboleta nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019.

Já o carioca Douglas Matera foi prata no revezamento 4x100m livre misto 49 pontos nos Jogos de Tóquio, além da prata nos 200m medley em Lima 2019.

A fluminense Mariana Gesteira também vai estrear em um Mundial de natação após ser bronze nos 100m livre em Tóquio 2020, e prata nos 50m livre e 100m costas, ouro revezamento 4x100m medley e bronze no 4x100m livre no Parapan de Lima 2019; e prata nos 50m livre, bronze nos 100m livre e nos 100m costas no Parapan de Toronto em 2015.

Outro medalhista paralímpico estreante em Mundiais será Gabriel Bandeira, pela classe S14, depois das conquistas do ouro nos 100m borboleta, da prata nos 200m livre e 200m medley e do bronze no revezamento 4x100m livre misto S14 nos Jogos de Tóquio.

"Cada competição tem a sua diferença, a sua importância. Para mim, vai ser um Mundial novo, mas talvez não seja tão novo assim. Fui para o Parapan de Lima 2019 e logo depois para os Jogos de Tóquio, sem disputar Mundial. Mas conheço os adversários, eles me conhecem. Vai ser uma primeira vez bem diferente", afirmou Gabriel Araújo, que tem focomelia, doença congênita que impede a formação normal de braços e pernas.

Em contrapartida, entre os estreantes em Mundiais, também há nadadores jovens que estão em busca de mais experiência internacional. São os casos da fluminense Lídia Cruz (classe S4), dos paulistas e primos Samuel Oliveira (S5) e Tiago Ferreira (S5), do carioca Daniel Mendes (S6), além da catarinense Larissa Rodrigues.

"Estou muito animado, mas ansioso ao mesmo tempo, para o meu primeiro Mundial. Estar entre os melhores da natação paralímpica do Brasil me deixa muito orgulhoso e dá motivação para dar o meu melhor nessa competição", completou Samuel Oliveira, o mais jovem da Seleção Brasileira que vai competir na Ilha da Madeira. 

Confira a lista dos estreantes no Mundial de Portugal:

Masculino:
Daniel Mendes (S6)
Douglas Matera (S13)
Gabriel Araújo (S2)
Gabriel Bandeira (S14)
João Brutos (S14)
José Perdigão (S11)
José Ronaldo (S1)
Lucas Mozela (S9)
Samuel Oliveira (S5)
Tiago Ferreira (S5)

Feminino:
Larissa Rodrigues (S3)
Lídia Cruz (S4)
Mariana Gesteira (S9)

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial