Jogos Paralímpicos de Tóquio: Aproveite a competição para levar o Movimento Paralímpico para a sala de aula

ter, 31 ago 2021 13:46:40 -03:00



Foto: Miriam Jeske / CPB

Foto: Miriam Jeske / CPB

A atenção do mundo está voltada para os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020 e este é o melhor momento para abordar a importância do movimento paralímpico em sala de aula. Para ajudar a levar o tema para a escola e despertar o interesse dos alunos, o Comitê Paralímpico Brasileiro elencou assuntos importantes sobre o paradesporto de forma informativa e interativa. Confira!
 

1- Modalidades e Deficiências

Nesta edição dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, 22 modalidades são disputadas e a Delegação Brasileira conta com representantes em 20 modalidades. É interessante mostrar em sala de aula como funcionam as modalidades adaptadas e salientar que o Brasil é uma potência paralímpica mundial pelo número de conquistas em Jogos Paralímpicos.
 
 

2- História de Atletas

“Se a palavra convence, o exemplo arrasta!”, apesar do autor da frase ser desconhecido, a afirmação é verdadeira. Dentro do esporte paralímpico, grandes nomes do alto rendimento contam que foram influenciados por seus ídolos, como Daniel Dias, que foi inspirado por Clodoaldo Silva, o tubarão paralímpico da natação.

“Eu descobri a natação quando eu tinha 16 anos, ao assistir o Clodoaldo Silva ganhando medalhas para o Brasil durante os Jogos Paralímpicos de Atenas em 2004. Até então, eu não tinha conhecimento sobre o esporte paralímpico. Me interessei e comecei a praticar a natação logo na sequência, e em oito aulas eu já tinha aprendido a nadar os quatro estilos.”, conta o maior nadador paralímpico do mundo, Daniel Dias.

Clodoaldo Silva e Daniel Dias usam óculos de natação e sorriem para foto.

Histórias de campeões paralímpicos podem ser lidas no eBook “A diferença de quem faz. Pessoas com deficiência que inspiram”, com download gratuito aqui.
 

3- Explicação de atletas sobre termos capacitistas

Entender quais são as expressões capacitistas presentes no vocabulário permite identificá-las e substituir os termos por palavras que não carregam preconceito. Ensinar esses termos a crianças ajuda a disseminar uma linguagem mais inclusiva desde cedo e os atletas paralímpicos podem ser símbolos dessa missão.
Confira aqui o vídeo que mostra atletas paralímpicos explicando termos que devem ser evitados quando o assunto é PcD.
 

4- Filmes e documentários sobre o tema

Filmes e documentários são ótimas formas de conhecer o movimento paralímpico e histórias de atletas. O formato é ideal para ser o ponto de partida para grupos de discussão sobre o paradesporto e fomentar o pensamento crítico a respeito do dia a dia das pessoas com deficiência e o caminho do esporte de alto rendimento.
O CPB preparou uma lista com filmes e documentários sobre o paradesporto e é possível conferir neste link.
 

5 - O CPB e a história do paradesporto no Brasil

A história do Comitê Paralímpico Brasileiro começou há menos de 30 anos e é repleta de capítulos marcantes. O CPB tem uma relação intrínseca com o tema e a história do Comitê e do paradesporto estão relatadas no eBook recomendado: “O CPB e o esporte paralímpico no Brasil - duas histórias que se cruzam”. O material traz mais subsídios para abordar o tema em sala de aula.
 

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial