Atleta mineiro bate índice na seletiva de natação em seu primeiro ano entre paralímpicos

sáb, 05 jun 2021 16:19:04 -03:00



João Pedro Brutos (centro) salta do bloco durante prova pela Fase de Treinamento Seletiva da natação | Foto: Ale Cabral / CPB

João Pedro Brutos (centro) salta do bloco durante prova pela Fase de Treinamento Seletiva da natação | Foto: Ale Cabral / CPB

Em um ano que ficará marcado pela aposentadoria da maior referência nacional da natação paralímpica brasileira, Daniel Dias, o mesmo esporte aquático tem visto o surgimento de uma nova geração de nadadores paralímpicos que podem render bons frutos nas próximas edições de Jogos Paralímpicos.

Um deles é o mineiro João Pedro Brutos, da classe S14, que bateu o índice paralímpico da prova dos 100m peito masculino neste sábado, 5, durante a Fase de Treinamento Seletiva da natação, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. 

O atleta com deficiência intelectual nadou em 1min07s04, mais rápido do que os 1min08s68 colocados como critério. Agora, ele aguarda o final da seletiva e também a verificação de elegibilidade para confirmar sua vaga para o evento na capital japonesa.

O grande resultado na prova que é uma das suas especialidades – a outra é os 200m medley – aconteceu ainda no seu primeiro ano como atleta paralímpico. 

Natural de Uberlândia, o jovem nadador de 16 anos teve constatada a deficiência intelectual somente no final do ano passado – até então, Brutos nadava pela natação convencional.

"Desde 2016, quando ele ingressou no clube, ele já demonstrava que tinha muito potencial nas piscinas. Nesta seletiva, ele nadou os 100m livres também apenas para obter um ritmo, mas a nossa expectativa era de que ele oficializasse o índice na prova do peito mesmo", afirmou o técnico do atleta no Praia Clube, Alexandre Vieira.

Brutos e seu colega de clube Gabriel Bandeira, também da classe S14, obtiveram bons resultados também na etapa de Madeira, Portugal, do World Series da modalidade, circuito internacional da natação organizado pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, sigla em inglês).

Ambos chegaram a bater o mesmo recorde das Américas nos 100m peitos no campeonato europeu. Nas eliminatórias, João Pedro Brutos havia feito 1min07s61 antes de melhorar a própria marca na final (1min06s73) e ver o compatriota cravar 1min06s31.

"Eles são grandes amigos. E essa amizade acaba refletindo no desempenho nas piscinas, onde um acaba motivando o outro", concluiu o treinador.

Mais resultados

O último dia de seletiva contou com novos índices batidos pelos nadadores paralímpicos ainda nas provas eliminatórias do período da manhã. Agora, os atletas têm de aguardar o final da seletiva e também a verificação de elegibilidade para confirmar suas vagas para o evento na capital japonesa.

Nos 200m livres masculino, o paranaense Bruno Becker, da classe S2, fez 4min35s63 e superou o índice de 4min52s46, enquanto o paulista Ruan Souza fez 1min10s54 ante os 1min11s04 exigidos nos 100m peito masculino.

Também bateram o índice pela primeira vez na seletiva as gêmeas paranaenses Beatriz e Debora Borges Carneiro, ambas da classe SB14, que nadaram quase no mesmo tempo (1min17s17 e 1min17s28, respectivamente) e foram mais rápidas do que a marca de 1min18s61.  

Já com índices atingidos nos primeiros dias da seletiva, Patricia Pereira dos Santos, classe SB3, voltou a bater nova marca – desta vez na prova dos 50m peito, na qual fez 1min01s77, abaixo dos 1min04s22 colocados como critério. Já Gabriel Geraldo, da classe S2, completou a prova dos 200m livres em 4min09s95 e bateu o índice de 4min52s46.

Já classificados para os Jogos de Tóquio, por serem campeões mundiais em suas classes em 2019, Daniel Dias (S5) e Carol Santiago (S12) também bateram os índices paralímpicos nas provas eliminatórias. O multimedalhista paralímpico nadou os 200m livres em 2min45s79 (a marca a ser batida era 2min53s49), enquanto a recém-recordista mundial nos 50m livres fez 1min16s80, quase dois segundos mais rápida do que o índice de 1min18s76. 

Todos os participantes da Fase de Treinamento Seletiva têm obedecido a rigorosos protocolos sanitários implementados pelo CPB desde sua reabertura em julho do ano passado.

Patrocínio

A natação paralímpica tem patrocínio das Loterias Caixa

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial