Brasil encerra Parapan-Americano de tiro com arco com nove medalhas e quatro vagas para os Jogos de Tóquio

sáb, 27 mar 2021 08:48:16 -03:00



Fabiola Dergovics faturou a medalha de ouro no arco recurvo no Parapan-Americano de tiro com arco em Monterrey e garantiu a vaga brasileira nesta prova nos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Fabiola Dergovics faturou a medalha de ouro no arco recurvo no Parapan-Americano de tiro com arco em Monterrey e garantiu a vaga brasileira nesta prova nos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Na primeira competição de tiro com arco da temporada, o Parapan-Americano de tiro com arco em Monterrey, no México, o Brasil obteve excelentes resultados e encerrou sua participação com nove medalhas (duas de ouro, seis de prata e uma de bronze) e garantiu mais quatro vagas para o país para os Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Ao todo, 10 vagas estavam em disputa no México. Os dois primeiros colocados no arco recurvo e composto, feminino e masculino, e os vencedores dos eventos W1, garantiriam lugar para o país nos Jogos. Cada país poderia ganhar no máximo uma vaga por prova. O Brasil foi o país com o maior número de vagas conquistadas nesta competição.

Nas disputas da tarde da sexta-feira, 26, o Brasil conquistou o ouro no arco recurvo feminino com Fabiola Dergovics, que derrotou a norte-americana Emma Ravish por 6 a 2. Com este resultado, a brasileira assegurou a vaga do país nos Jogos de Tóquio, que acontecem em agosto. Esta prova também contou com a participação de Thais Carvalho, que ficou em quarto lugar após perder a disputa do bronze por 6 a 4 para a colombiana Maria Daza Guzman.

No arco recurvo masculino, Heriberto Roca perdeu a disputa pelo ouro por 6 a 2. Com a medalha prateada e pela distribuição de vagas para os Jogos entre as provas, o brasileiro também garantiu mais uma vaga para o Brasil.

No período da manhã da sexta, o Brasil já havia conquistado cinco medalhas e duas vagas para o maior evento paradesportivo do mundo na capital japonesa.

Na prova masculina W1, a final foi totalmente verde e amarela com Helcio Luiz Gomes e Esdras Rocha. Com 126 pontos contra 124 do compatriota, Esdras conquistou a medalha dourada. Este resultado rendeu ao Brasil uma vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio. O mexicano Macias Jaime ficou com a medalha de bronze. Na versão feminina desta prova, Rejane da Silva ficou com a prata ao ser derrotada pela estadunidense Lisa Coryell por 119 a 89.

Andrey de Castro faturou a medalha de prata no arco composto e também garantiu a vaga brasileira na capital japonesa. Na final contra o mexicano Omar Echeverria, Andrey marcou 138 pontos contra 145 do adversário. 

Na disputa do bronze do arco composto feminino, Anne Pacheco venceu a norte-americana Teresa Wallace por 128 a 119 e garantiu mais uma medalha para o Brasil.

As primeiras medalhas foram conquistadas na quarta-feira, 24, nas disputas por equipe mista do arco recurvo e do arco composto. Em ambas as provas, o Brasil ficou com a medalha de prata.

Somada a vaga anteriormente conquistada por Jane Karla no Mundial da modalidade na Holanda em 2019, o Brasil possui, ao todo, cinco vagas para os Jogos Paralímpicos de Tóquio. 

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

PATROCINADORES
Patrocinadora do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
FORNECEDORES
Fornecedor Oficial