Live Paralímpica: atletas relatam detalhes e emoções sobre volta ao CT Paralímpico

qui, 30 jul 2020 10:34:32 -03:00



A Live Paralímpica desta quarta-feira, 29, na página oficial do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) no Facebook, abordou a volta parcial dos treinos no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, no mês de julho. O bate-papo contou com a participação da nadadora Carol Santiago, da velocista Lorena Spoladore, do mesa-tenista Israel Stroh e do diretor técnico adjunto do CPB, Jonas Freire.  

Iniciada no mês de maio, a Live Paralímpica compõe o conjunto de ações feitas pelo CPB durante a pandemia do Covid-19. A partir de julho, as transmissões ganharam novo formato e assuntos como “psicologia esportiva”, “tetraplégicos no esporteenutrição na pandemia” já foram os temas debatidos anteriormente.  

O CT Paralímpico obteve autorização da Prefeitura de São Paulo para iniciar o processo de reabertura parcial para treinamentos. Desde o último dia 7, atletas do atletismo, natação e do tênis de mesa retornaram aos treinos nas instalações após mais de 100 dias com o espaço fechado devido à pandemia do Covid-19. Além de seguirem protocolos sanitários e se comprometerem a manterem o isolamento social, atletas, técnicos e atletas-guias têm sido testados antes do retorno. 

“Eu voltei para o CT sem o Renato [atleta-guia], foi muito gostoso voltar, mas fiquei com a sensação de que não estava completo. Na terça-feira [28], ele voltou e a gente até levou bronca porque não parávamos de conversar, muita saudade, muito tempo longe”, comentou Lorena, medalhista de bronze nos 100m no Mundial de Dubai 2019.  

Lorena perdeu a visão devido a um glaucoma congênito e corre com o atleta-guia Renato Benhur desde 2014. Por motivos pessoais, Renato precisou se ausentar dos primeiros dias de treino e passar novamente pelos testes antes de retornar ao CT Paralímpico.  

Já a nadadora Carol Santiago, campeã mundial em Londres 2019, contou como se adaptou nesse período sem treinos. “Eu não tinha nada em casa, peso, nada, e um espaço de 1,5m para treinar, fazer abdominal, alongamento. Fiz como dava, de acordo com o que o departamento técnico passava no acompanhamento à distância. Um pouco antes do CT reabrir eu consegui uma piscina para treinar no interior e tive que treinar para poder treinar devido à perda de parte do condicionamento físico”, contou a pernambucana que tem Síndrome de Morning Glory, que causa uma alteração na retina reduzindo o campo de visão.   

O calendário nacional e internacional de competições segue suspenso, apesar dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2021, estarem mantidos. O CPB é responsável diretamente por quatro modalidades: atletismo, halterofilismo, natação e tiro esportivo.   

“Nós temos aprendido diariamente sobre essa nova doença, a nossa área de saúde tem trabalhado muito para desenvolver, inclusive, o protocolo, que não é engessado, é atualizado o tempo todo. Não temos uma previsão de calendário. Nas quatro modalidades que o CPB administra, a gente sabe que só iremos fazer competições quando tivermos total segurança total para realizá-las, além a autorização das autoridades para que elas sejam possíveis. Quando tivermos a possibilidade de retornar o calendário, vamos conversar com o Conselho de atletas para realinhar o calendário de competições. Já internacionalmente, a única competição confirmada são os Jogos e agora apareceu um campeonato na Polônia de atletismo, mas nós sabemos que é inviável a participação, não há condições de levar qualquer delegação para qualquer lugar”, contou Jonas Freire.  

O mesa-tenista Israel contou que o fato de já está classificado para os Jogos de Tóquio trouxe uma tranquilidade. “Ficar sem treinar é algo que vai contra a natureza do atleta. Poder voltar foi muito bom. O adiamento dos Jogos foi chato no começo, mas foi o melhor. Eu tenho um ponto ao meu favor por já ter a vaga assegurada. Disputar uma vaga, uma classificação, nesse período que falta de um seria uma preocupação e até um estresse que eu não gostaria de ter. Eu tenho um pouco mais de um ano para me preparar para os Jogos e não para uma classificação e isso trouxe uma calma maior”, contou o medalhista de prata nos Jogos Rio 2016.   

No final de junho, a Federação Internacional de Tênis de mesa divulgou a lista dos atletas classificados para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, no ano que vem, e Israel está confirmado com a sexta colocação no ranking mundial em sua classe.   

Nesta sexta-feira,31, a Live Tamo Junto, parceria entre o CPB e o COB, será sobre tiro com arco com a participação de Jane Karla, já classificada para os Jogos Paralímpicos e Bernardo Oliveira, quarto lugar nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019. A transmissão será no perfil oficial do CPB no Instagram (@ocpboficial). 

Confira a Live Paralímpica sobre o retorno ao CT Paralímpico completa abaixo


Time São Paulo
O atleta Israel Stroh é integrante do Time São Paulo, parceria entre o CPB e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo que beneficia 61 atletas e dois atletas-guia de 11 modalidades.

Programa Loterias Caixa Atletas de Alto Nível
As atletas Carol Santiago e Lorena Spoladore são integrantes do Programa Loterias Caixa Atletas de Alto Nível, programa de patrocínio individual da Loterias Caixa que beneficia 70 atletas e sete atletas-guia.

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)  

PATROCINADOR MASTER
Patrocinadora oficial de 11 modalidades paralímpicas
PATROCINADORES
Patrocinadora oficial do Paratletirsmo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão