Parataekwondo

Assim como em outras lutas, o parataekwondo é disputado por dois atletas, um com colete azul e outro vermelho. O colete possui sensores capazes de medir a potência do chute quando em contato com a meia do oponente. A meia tem 12 sensores em pontos distintos do pé.

As lutas são realizadas em três rounds de dois minutos, com um minuto de intervalo. Ganha o atleta que tiver mais pontos ao término do último round. Se acabar empatado, ocorre mais um round, cujo vencedor é o lutador que fizer os dois primeiros pontos.

imagem golpe de parataekwondo

A luta pode encerrar antes do final do terceiro round, caso um atleta some 20 pontos a mais do que o adversário, o que é considerado vantagem técnica.

A área de atuação da luta é igual à das disputas convencionais: um espaço de 8m x 8m. A principal diferença do parataekwondo é no sistema de pontuação e nas faltas. A contagem do placar na luta é a seguinte:

- 1 ponto para cada falta cometida pelo adversário;
- 2 pontos para chutes retos no colete;
- 3 pntos para chutes giratórios em 180 graus no colete;
- 4 pontos para chutes giratórios em 360 graus no colete;
- Soco é permitido, mas não é pontuado.

Já nas faltas, a diferença é que, no parataekwondo, não é permitido chute na altura da cabeça. A cada chute alto executado é considerado uma punição, gerando um ponto para o adversário e, dependendo da intensidade, o atleta pode ser penalizado com uma desclassificação no meio de um combate.

A entidade que administra o parataekwondo é a WTF (Federação Mundial de Taekwondo) e aqui no Brasil é a CBTKD (Confederação Brasileira de Taekwondo).

O primeiro campeonato mundial de parataekwondo foi realizado em 2009, na cidade de Baku – Azerbaijão. Atualmente o campeonato mundial é realizado a cada 2 anos e após 2020 se tornará anual. Em 2015 o parataekwondo foi anunciado como parte do programa paralimpico, fazendo a sua estreia em Tóquio 2020.

Classes no

Parataekwondo

As classes esportivas do Taekwondo são definidas pela letra P (poonse - forma) e K (kiorugui – luta). A modalidade de Poonse é disputada por atletas com deficiência visual – P10, deficiência intelectual – P20, deficiência física – P30 e baixa estatura – P70. A classe KP60 é para surdos. A modalidade kiorugui é para deficientes físicos – K 40. A classe que faz parte do programa paralímpico são as classes K43 e K44, na qual os atletas da classe K43 podem competir na classe K44.


imagem K43

Atletas com amputação bilateral do cotovelo até a articulação da mão, dismelia bilateral.

imagem k44

Atletas com amputação unilateral do cotovelo até a articulação da mão, dismelia unilateral, monoplegia, hemiplegia leve e diferença de tamanho nos membros inferiores.

Além da divisão de classe, os atletas são divididos por categorias de pesos

FEMININO MASCULINO
Até 49kg Até 61kg
Até 58kg Até 75kg
Acima de 58 kg Acima de 75 kg


Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKd)

Av. das Américas, 3301 - bloco 5- sala 206 - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro/RJ
(21) 3594-6958
www.cbtkd.com.br

Medalhistas

Clique para ver os
medalhistas

PATROCINADOR MASTER
Patrocinadora oficial de 11 modalidades paralímpicas
PATROCINADORES
Patrocinadora oficial do Paratletismo Brasileiro
Patrocinadora do Comitê Paralímpico Brasileiro
APOIADORES
Apoiador do Comitê Paralímpico Brasileiro
PARCEIROS
Parceiro do Comitê Paralímpico Brasileiro
Parceiros do Atleta Cidadão