Notícias

Conheça os atletas convocados para o Mundial de Atletismo, em Londres

Por CPB
Qui, 08 Jun 2017 10:36:00 -0300
Leandro Martins/CPB/MPIX Imagem

Os 25 convocados para o Campeonato Mundial de Atletismo, em Londres, de 14 a 23 de julho, foram anunciados nesta quinta-feira, 8. Conheça os atletas.

1. Alessandro Silva
Nascimento: 28/08/1984
Local: Santo André (SP)
Peso: 126kg
Altura: 1,90m
Classe: F11
Principais Conquistas: ouro no lançamento de disco nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; ouro no arremesso de peso e no lançamento de disco nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; recordista mundial no lançamento de disco (44,66m) 
História: Alessandro ficou cego após a manifestação de uma toxoplasmose, em 2009. Em 2013, conheceu seu atual técnico, Walter Agripino, que foi quem lhe chamou para treinar. Em sua primeira competição, conseguiu o 3º lugar e percebeu que tinha um potencial a ser explorado no esporte.
 
2. André Rocha
Nascimento: 15/4/1977
Local: Taubaté (SP)
Peso: 120kg
Altura: 1,81m 
Classe: F52
Principais conquistas: prata no arremesso de peso nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015 
História: Andre era policial militar e, em uma perseguição no final de 2005 , caiu de um muro e sofreu uma lesão na coluna. Sempre praticou esporte - jogava basquete - e quis voltar assim que superou a depressão pós-acidente. Em 2013, conheceu um programa de esporte da prefeitura e iniciou no atletismo.  Em abril deste ano, por causa de um agravamento da lesão na coluna, mudou de classe de F54 para F52.     
 
3. Ariosvaldo Fernandes
Nascimento: 23/12/1976
Local: Campina Grande (PB)
Peso: 53kg
Altura: 1,20m
Classe: T53
Principais conquistas: prata nos 100m e nos 400m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; bronze nos 100m no Mundial de Atletismo de Lyon 2013; ouro nos 100m e nos 200m, e prata nos 400m nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011; ouro nos 100m e nos 400m, e prata nos 200m nos Jogos Parapan-Americanos do Rio 2007.
História: Parré nasceu no interior da Paraíba e, sem acesso à vacina quando bebê, teve poliomielite. A família mudou-se para o Distrito Federal em busca de melhores oportunidades e de tratamento para Parré, como é mais conhecido. Aos 17, por influência de um amigo, começou a praticar basquete em cadeira de rodas e, há 15, conheceu o atletismo e nunca mais largou.
 
4. Daniel Mendes
Nascimento: 15/06/1979
Local: Nova Venécia (ES)
Peso: 80kg
Altura: 1,76m
Classe: T11
Principais conquistas: recordista mundial nos 400m (49s82); ouro no revezamento 4x100m T11-13 e bronze nos 200m nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; bronze nos 200m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; ouro nos 400m e bronze nos 200m no Mundial de Doha 2015; ouro nos 400m e bronze nos 200m no Mundial de Lyon 2013; prata nos 200m nos Jogos Paralímpicos de Londres 2012, ouro nos 400m e prata nos 100m e nos 200m nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011; prata nos 200m e nos 400m, e bronze nos 100m no Mundial de Christchurch 2011.
História: Daniel trabalhava numa serralheria de granito quando sofreu um grave acidente em 2002. Duas placas de mais de 700kg se desprenderam e caíram sobre o rosto do capixaba, provocando afundamento de crânio e da face e a perda total da visão. Daniel passou por diversas cirurgias de reconstrução facial. Em 2005, a convite de uma professora da Unicep, conheceu o atletismo. Logo se destacou representando o Brasil em competições internacionais.
 
5. Daniel Tavares
Nascimento: 12/03/1996
Local: Marília (SP)
Peso: 58kg
Altura: 1,71m
Classe: T20
Principal conquista: ouro nos 400m nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016; ouro nos 400m no Mundial de Doha 2015; recordista mundial nos 400m (47s22).  
História: No tempo de escola, Daniel apresentava bastante dificuldade durante o aprendizado. Foi assim que descobriu que possuía deficiência intelectual. Começou no esporte com o futebol e, em 2013, chegou ao atletismo paralímpico.
 
6. Edson Pinheiro
Nascimento:: 03/06/1979
Local: Cruzeiro do Sul (AC)
Peso: 70kg
Altura: 1,75m
Classe: T38
Principais conquistas: bronze nos 100m nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; ouro nos 100m e bronze nos 200m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; prata nos 100m no Mundial de Doha 2015; bronze nos 100m no Mundial de Lyon 2013; ouro nos 100m e nos 200m, e prata nos 400m nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011; bronze nos 100m no Mundial de Christchurch 2011; ouro nos 100m e nos 200m nos Jogos Parapan-Americanos Rio 2007.
História: Edson nasceu no seringal com ajuda de uma parteira. Com falta de oxigênio, teve paralisia cerebral, que prejudicou o movimento do braço direito. Praticava tênis de mesa em 2001 e, um ano depois, migrou para o atletismo. Em menos de dois anos no esporte, conquistou seu lugar na Seleção Brasileira.
 
7. Elizabeth Gomes
Nascimento: 15/01/1965
Local: Santos (SP)
Peso: 82kg
Altura: 1,68m
Classe: F55
Principais conquistas: bronze no arremesso de peso no Mundial de Doha 2015; ouro no lançamento de disco e prata no arremesso de peso nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015 
História: Em 1993, Elizabeth levava uma vida de jogadora de vôlei quando foi diagnosticada com esclerose múltipla. Demorou para aceitar a doença até conhecer o basquete em cadeira de rodas, em Santos. Descobriu, no mesmo Local onde treinava, o atletismo e se apaixonou pela modalidade.
 
8. Emerson dos Santos Lopes
Nascimento: 23/02/1994
Local: Lages (SC)   
Peso: 105kg
Altura: 1,87m
Classe: F46 
História: Emerson tem má formação no braço direito. A deficiência foi causada durante o parto, quando o médico o retirou da barriga da mãe de maneira errada. Começou no esporte paralímpico no handball e, em 2010, migrou para o atletismo, já competindo nas provas de campo (disco e peso). 
 
9. Fabricio Júnior
Nascimento: 17/01/1998
Naviraí (MS)  
Peso: 59kg
Altura: 1,60m
Classe: T12 
História: Fabrício perdeu parte da visão devido a uma toxoplasmose, adquirida pela mãe na gravidez. Em 2013, sofreu um deslocamento da retina e, para evitar a depressão, a mãe e a tia o incentivaram a praticar o atletismo. Competiu pela primeira vez nas Paralimpíadas Escolares de 2014.    
 
10. Fábio Bordignon
Nascimento: 20/06/1992
Local: Duque de Caxias (RJ)
Peso: 63kg
Altura: 1,59m
Classe: T35
Principais conquistas: prata nos 100m e nos 200m nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. 
História: Fábio teve paralisia cerebral na hora do parto, por falta de oxigenação no cérebro. Por isso, ficou com alguns movimentos descoordenados nos membros inferiores e no membro superior esquerdo. Foi atleta de futebol de 7 até 2014, e no ano seguinte, migrou para o atletismo.
 
11. Gustavo Araújo
Nascimento: 14/09/1992
Local: Uberlândia (MG)
Peso: 75kg
Altura: 1,76m
Classe: T13
Principais conquistas: ouro no revezamento 4x100 nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; ouro nos 100m e no revezamento 4x100m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; prata nos 100m no Mundial de Doha 2015.
História: O velocista descobriu em 2009 que possuía uma doença degenerativa chamada ceratocone. Gustavo já praticava o atletismo convencional, mas devido ao avanço da sua perda de visão, ingressou no esporte paralímpico em 2014.
 
12. Izabela Campos
Nascimento: 11/04/1981
Local: Belo Horizonte (MG)
Peso: 90kg
Altura: 1,67m
Classe: F11
Principais conquistas: bronze no lançamento de disco nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; ouro no lançamento de disco e prata no arremesso de peso nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; bronze no lançamento de disco no Mundial de Doha 2015; bronze no arremesso de peso no Mundial de Lyon 2013.
História: Vítima de sarampo aos 6 anos, Izabela perdeu a visão progressivamente até não enxergar mais aos 18. Aos 21, a mineira conheceu o atletismo, com o objetivo de perder peso. Chegou a correr 5.000m, 1.500m, 800m e 400m, mas foi com as provas de campo que mais se identificou. 
 
13. Jhulia Santos
Nascimento: 18/9/1991
Local: Terra Santa (PA)
Peso: 52kg
Altura: 1,49m
Classe: T11
Principais conquistas: bronze nos 100m e nos 200m no Mundial de Doha 2015; prata nos 100m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; bronze nos 100m no Mundial de Atletismo de Lyon 2013; bronze nos 100m nos Jogos Paralímpicos de Londres 2012; bronze nos 100m nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara 2011.
História: Jhulia perdeu a visão devido a uma meningite quando tinha 9 anos. A paraense começou no atletismo aos 15 anos e, três anos depois, mudou-se para o Rio de Janeiro para se dedicar mais ao esporte.
 
14. João Luis dos Santos
Nascimento: 24/6/1972
Local: Santa Rita (PB) 
Peso: 105kg
Altura: 1,86m
Classe: F46 
Principais conquistas: bronze no lançamento de disco no Mundial de Christchurch 2011; ouro no lançamento de disco nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015. 
História: João tem uma deficiência na mão e no braço direitos causada durante o parto, quando o médico o retirou da barriga da mãe. Sempre gostou de jogar futebol, mas acabou conhecendo o atletismo em 2004, por influência de um professor. Fez alguns testes na Universidade Federal da Paraíba e chamou a atenção pela força e pelo tamanho. Se especializou nas provas de campo, principalmente no lançamento de disco. 
 
15. Jonas Licurgo
Nascimento: 7/11/1969
Local:Rio de Janeiro (RJ)
Peso: 97kg
Altura: 1,80m
Classe: F55
Principal conquista: ouro no lançamento de dardo nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015. 
História: Jonas ficou paraplégico em 2000, ao levar um tiro enquanto exercia sua função como policial militar. Depois de dois anos do ocorrido, começou a praticar esportes para o lazer. Passou pelo basquete, pela natação e pelo handball. Em 2010, experimentou o atletismo e não parou mais. Um ano depois, já estava competindo nas principais provas nacionais.
 
16. Kesley Josué
Nascimento: 24/01/1993
Local: Rolim de Moura (RO)
Peso: 71kg
Altura: 1,86m
Classe: T13
História: Kesley nasceu com baixa visão e, hoje, enxerga cerca de 15%. Com 19 anos, iniciou no atletismo por influêcia do amigo e também atleta paralímpico Mateus Evangelista. Sua primeira competição foi em 2012, nas Paralimpíadas Escolares. O atleta fez sua estreia na Seleção Brasileira no Jogos do Rio 2016.
 
17. Mateus Evangelista
Nascimento: 15/02/1994
Local: Porto Velho (RO)
Peso: 68kg
Altura: 1,75m
Classe: T37
Principais conquistas: prata no salto em distância nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; ouro nos 100m, nos 200m e no salto em distância nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015
História: Por falta de oxigênio na hora do nascimento, Mateus teve paralisia cerebral, o que prejudicou os movimentos do lado direito do corpo. Com a mão e a perna direitas sem movimentação total, entrou no esporte aos 13 anos. Começou no atletismo e, já na sua primeira paralimpíada escolar - duas semanas depois de começar a treinar - conquistou medalhas de ouro nos 100m, nos 200m e no salto em distância. Em 2009, conheceu o futebol de 7 durante uma viagem ao Rio de Janeiro e começou, também, a praticar o esporte, atuando como goleiro. No mesmo ano, foi o arqueiro menos vazado no Parapan Juvenil de Bogotá, na Colômbia. Muito disputado entre os treinadores - cada um o queria exclusivamente em sua modalidade -, Matheus decidiu, em 2012, que precisava se dedicar apenas a um dos esportes para continuar no alto rendimento. Escolheu o atletismo.
 
18. Michel Abrahame
Nascimento: 3/11/1997
Local: Mauá (SP) 
Peso: 61kg
Altura: 1,73m
Classe: T46 
História: Michel perdeu o movimento do braço esquerdo aos 12 anos, após bater em um caminhão com sua bicicleta. Ficou quase um mês no hospital e 9 dias na UTI. Conheceu o atletismo por meio de um professor da escola e, em 2014, começou a competir. Sua especialidade são o salto em distância e o salto triplo. 
 
19. Paulo Henrique Reis
Nascimento: 3/7/1998
Local: Dourados (MS)
Peso: 68kg
Altura: 1,82m 
Classe: T13 
História: Paulo nasceu com retinosquise congênita e, por isso, enxerga apenas 20% com o olho direito e menos de 10% com o esquerdo. Conheceu o atletismo por meio de um professor da escola e competiu pela primeira vez nas Paralimpíadas Escolares de 2010.  O Parapan de Jovens São Paulo 2017 foi seu primeiro evento internacional na carreira.
 
20. Petrucio Ferreira
Nascimento: 18/11/1996
Local: São José do Brejo do Cruz (PB)
Peso: 64kg
Altura: 1,68m
Classe: T47
Principais conquistas: ouro nos 100m e prata nos 400m e no revezamento 4x100m T42-47 nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; ouro nos 100m e nos 200m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; atual recordista mundial nos 100m (10s57) e nos 200m (21s49).
História: Petrúcio sofreu um acidente com uma máquina de moer capim aos dois anos e perdeu parte do braço esquerdo. Gostava de jogar futsal e sempre foi muito rápido, até que esta velocidade chamou a atenção de um treinador. O paraibano, em apenas três anos de carreira, virou recordista mundial e subiu ao pódio nos Jogos Paralímpicos.  
 
21. Renata Bazone
Nascimento: 21/08/1974
Local: São Gonçalo (RJ)
Peso: 60kg
Altura: 1,60m
Classe: T11
Principais conquistas: prata nos 1.500m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; ouro nos 800m e bronze nos 1.500m no Mundial de Doha 2015.
História: Renata nasceu com retinose pigmentar, uma doença hereditária que leva à perda gradual da visão. Ficou cega completamente aos 30 anos e, por recomendação médica, para que não sofresse com depressão, entrou para o esporte. Começou no judô há cinco anos e, há quatro, entrou no atletismo a fim de ganhar mais condicionamento físico para a luta. Gostou tanto da modalidade que decidiu se dedicar e logo conquistou bons resultados.
 
22. Ricardo Costa
Nascimento: 14/06/1982
Local: Três Lagoas (MS)
Peso: 72kg
Altura: 1,77m
Classe: T11
Principal conquista: ouro no salto em distância nos Jogos Paralímpicos Rio 2016. 
História: Com apenas 2 anos, Ricardo já apresentava dificuldade para enxergar. Em 1996, descobriu que possuía a doença de Stargardt, que estava em estágio avançado e o deixou cego total. Iniciou no esporte com corridas de rua e, depois, passou para as provas de pista do atletismo. O atleta competiu pela primeira vez internacionalmente no ano passado, no Mundial de Doha, no Catar. É irmão da também atleta cega e medalhista paralímpica Silvânia Costa. 
 
23. Rodrigo Parreira
Nascimento: 09/09/1994
Local: Rio Verde (GO)
Peso: 72kg
Altura: 1,92m
Classe: T36
Principais conquistas: prata no salto em distância e bronze nos 100m nos Jogos Paralímpicos Rio 2016; bronze nos 100m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015. 
História: Quando ainda estava grávida, a mãe de Rodrigo sofreu uma queda. O fato fez com que Rodrigo sofresse paralisia cerebral e, por isso, o lado esquerdo do corpo teve os movimentos prejudicados. Começou na natação, depois foi para o halterofilismo, mas se firmou mesmo no atletismo em 2013.
 
24. Thiago Paulino
Nascimento: 29/12/1985
Local: Orlândia (SP)
Peso: 117kg
Altura: 1,90m
Classe: F57
Principais conquistas: recordista mundial do disco F57 (48.04m); ouro no arremesso de peso e bronze no lançamento de disco nos Jogos Parapan- Americanos de Toronto 2015.
História: Thiago teve de amputar a perna esquerda abaixo do joelho devido a um acidente de moto, em 2010. Inspirado no atleta paralímpico Marco Aurélio Borges, começou a praticar atletismo em 2013. Fez sua estreia nos Jogos Paralímpicos no Rio 2016.   
 
25.  Yohansson do Nascimento
Nascimento: 25/09/1987
Local: Maceió (AL)
Peso: 53kg
Altura: 1,68m
Classe: T46
Principais conquistas: prata no revezamento 4x100m T42-47 e bronze nos 100m nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016; prata nos 200m e bronze nos 100m nos Jogos Parapan-Americanos de Toronto 2015; ouro nos 200m e prata nos 100m no Mundial de Doha 2015; ouro nos 200m, prata no revezamento 4x100m e bronze nos 100m no Mundial de Lyon 2013; ouro nos 200m e prata nos 400m nos Jogos Paralímpicos de Londres 2012; prata no revezamento 4x100m e bronze nos 100m nos Jogos Paralímpicos de Pequim 2008; ouro nos 100m, prata nos 200m e bronze no revezamento 4x100m no Mundial de Christchurch 2011; ouro nos 100m, 200m e 400m nos Jogos Parapan-Americanos do Rio 2007.
História: Yohansson nasceu sem as duas mãos. Conheceu o atletismo aos 17 anos, convidado pela técnica Valquíria Campelo, no ônibus em sua cidade natal, Maceió.

Assessoria de imprensa do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)