Notícias

Comitê Paralímpico Internacional define 23 modalidades candidatas a Paris 2024

Por CPB
Sex, 14 Set 2018 11:14:00 -0300
Imagem

O Conselho de Administração do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês) definiu as 23 modalidades que passaram para a próxima etapa de avaliação para inclusão no programa esportivo dos Jogos Paralímpicos Paris 2024.

Em reunião em Madri, na Espanha, nos dias 10 e 11 de setembro, a direção da entidade também decidiu não aprovar a inclusão do para-bobsleigh nos Jogos Paralímpico de Inverno de Pequim 2022, já que a modalidade não cumpriu os critérios de admissão.

Após uma revisão completa das aplicações de 28 modalidades para a inclusão em Paris 2024, as 23 escolhidas passarão para a próxima etapa. As modalidades selecionadas foram as 22 que estavam no programa dos Jogos de Tóquio 2020, juntamente com o Futebol de 7 para paralisados cerebrais, que estava no programa de 2016, mas não estará em 2020.

As modalidades tiveram até o dia 9 de julho para mandarem as aplicações, com informações detalhadas sobre governança, regras e regulamentos de cada esporte, cumprimento e atividades do programa antidoping, alcance mundial, programa quadrienal de competição e procedimentos para garantir o bem-estar dos atletas. O cumprimento do Código de Classificação também foi avaliado e o IPC considerou os custos e a complexidade das operações no Comitê Organizador de Paris 2024, em consonância com a Agenda Olímpica 2020 e a Nova Norma.

Golfe, karatê, dança, futebol em cadeira de rodas e vela não serão inclusos nos Jogos de Paris, já que não cumpriram os critérios de inclusão em algumas áreas.

Após a decisão do Conselho, o IPC agora dará um feedback às 23 modalidades selecionadas e pedirá outras informações até o dia 3 de dezembro. O Conselho Diretor do IPC decidirá sobre o programa esportivo final de Paris 2024 em janeiro. Um feedback também será dado aos cinco esportes que foram eliminados.

Andrew Parsons, presidente do IPC, disse: “Gostaria de parabenizar os 23 esportes que alcançaram a próxima etapa do processo de inclusão nos Jogos Paralímpicos de Paris 2024. Ao mesmo tempo, gostaria de dar as minhas comiserações àquelas modalidades que não prosseguirão. Espero que as federações internacionais levem em consideração o feedback que lhes demos e tenham certeza de que o IPC continuará trabalhando com elas no desenvolvimento contínuo de seus esportes."

“Depois de analisar todas as aplicações, ficou claro que o nível da competição, em 2024, será maior do que nunca, com todas as modalidades em progresso desde a última vez que realizamos esta ação, há quatro anos atrás para os Jogos de Tóquio."

“Queremos que os Jogos Paralímpicos de Paris 2024 exibam os melhores esportes e com um apelo global mais forte. Após a análise das informações adicionais que recebemos das federações internacionais, tomaremos nossa decisão final sobre o número de modalidades e quais delas serão incluídas, uma vez que tenhamos total concordância do COI e do Comitê Organizador de Paris 2024. ”

A decisão do IPC de não incluir o para-bobsleigh nos Jogos Paralímpicos de 2022, em Pequim, se deu após a modalidade não ter cumprido um dos requisitos mínimos estabelecidos pelo Conselho Diretor do IPC, em setembro de 2016. Quando o IPC aprovou provisoriamente a inclusão da modalidade, foi dito que 12 nações de pelo menos três regiões deveriam participar regularmente nas temporadas de 2016/17 e 2017/18. Mas a modalidade ficou aquém deste requisito.”

"Eu sei que muitos atletas ficarão decepcionados com esta decisão, mas a verdade é que o bobsleigh, apesar de seu desenvolvimento contínuo, não cumpriu os critérios de inclusão nos Jogos Paralímpicos de Inverno", disse Parsons.
"Esperamos que o esporte continue a se desenvolver nos próximos anos para que esteja em uma posição mais forte para a inclusão no programa esportivo dos Jogos Paralímpicos de Inverno de 2026."

Durante a reunião, a Diretoria aprovou provisoriamente o Comitê Paralímpico Nacional de Malta como membro do IPC, aguardando ratificação pela Assembleia Geral do IPC em 2019, em Bonn, Alemanha.

Em relação ao Conselho de Atletas do IPC, a Diretoria aprovou que o jogador de bocha singapurense Nurulasyiqah Mohammad Taha e o atleta de atletismo sul-coreano Suk Man Hong - dois membros cooptados - poderiam ter seus mandatos estendidos por mais dois anos. A nomeação da Natalie du Toit, da África do Sul, como terceiro membro cooptado do Conselho, foi aprovada.

Chelsey Gotell, presidente do Conselho de Atletas do IPC, disse: “Como parte de nosso compromisso de garantir a representação de atletas de cada uma das regiões no Conselho de Atletas do IPC, estou muito satisfeito que a Diretoria tenha concordado com a recondução de dois membros cooptados, e também um novo."

“Natalie du Toit é uma das atletas mais conceituadas da África para competir nos Jogos Paralímpicos e trará ao Conselho uma vasta experiência e conhecimento. Como chefe da Confederação Sul-Africana de Esportes e da Comissão de Atletas do Comitê Olímpico e membro da Comissão Consultiva de Atletas da Federação dos Jogos da Commonwealth, ela está bem posicionada para representar os pontos de vista da comunidade de atletas.”

Nesta reunião em Madri, que atraiu mais de 200 pessoas de mais de 100 membros do IPC, o Conselho Diretor do IPC discutiu os principais resultados das discussões e as próximas etapas relacionadas à criação do Plano Estratégico do IPC 2019-2023. Os próximos passos em relação à Revisão da Governança do IPC também foram acordados. O Conselho Diretor do IPC se reunirá novamente em janeiro de 2019.

*Com informações de Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês)

Assessoria de Comunicação do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)